31/03/2015

Simplificando a Páscoa


Sou super preguiçosa com post temáticos.
Mas não poderia deixar de comentar sobre a Páscoa.
Por que é um dos feriados mais trabalhosos, estressantes e caros.
Com os ovos custando em torno de 30,00 dindin por 150 gramas... vamos todos ir a falência.
Isso sem contar os preços exorbitantes das decorações.

Não pense que eu sou diferente de você.
Vou sim decorar minha casa, modestamente, mas vou.
E sim, o filhote vai ganhar chocolate, como acontece todos os anos.

Mas combinamos em comum acordo em não comprar ovos "comerciais".
O Gabriel já entende que o "brinde" vai virar um trambolho.
E quando ele não entendia, comprava algo em uma loja de 1,99 do tema e fazia o ovo em casa.
Fazia um ovinho de 200 gramas, que sai em chocolate uns 4 reais + um brinde de 2 reais e com 6 reais contando a embalagem fazia o tal ovo do homem de ferro, do carros ou de qualquer coisa que ele estivesse interessado. kk

Este ano já compramos 1 kilo de chocolate (18 dindin) e resolvemos fazer em dupla (filhote+eu) na Sexta-feira Santa bombons para toda a família.
Ele ficou super animado.
Comprei saquinhos de coelho por 0,70 cada.


Lindinhos, vem com um mini pregador e não melam com os chocolates.
Vou colocar os mesmos 150 gramas de chocolate e vamos gastar uns 5 reais por pacotinho incluindo todos os custos adicionais.
E as mamães não vão ter que se preocupar com intoxicação por excesso de chocolate, nem com brinde trambolho.
Filhote feliz, priminhos felizes e bolso da mamãe que vos fala também.
Além do que vamos combinar que fazer nossos ovinhos é uma atividade que tem muito mais a ver com a ideia da Páscoa de renovação, paz e amor ao próximo.

11/03/2015

7 razões para não ostentar




Nosso mundo aplaude sucesso. E assim deve ser.
 É inteiramente apropriado para o campeão e para aqueles que desenvolvem seus talentos, trabalham duro, e superam os obstáculos. 
Há muitas pessoas de sucesso que eu admiro em minha própria vida.
Mas o nosso mundo adora um elogio.
 Nós não somos a primeira sociedade a adorar o consumo, mas somos uma das que mais a pratica.
Revistas expõem demais os detalhes dos ricos e famosos.
Publicações classificam aqueles com o maior patrimônio líquido. 
Reality shows aplaude o estilo de vida de quem vive no luxo.
 E a Internet atrai leitores com inúmeras histórias sobre eles.
Mesmo em nossas próprias vidas, nós fazemos o mesmo. 
Comentamos sobre o tamanho das casas.
 Destacamos o carro de luxo ao lado de nós.
 Nós invejamos roupas da moda e bolsas de grife.
Queremos viver a vida daqueles que parecem ter tudo. 
Em nossos corações e em nossas afeições, louvamos aqueles que vivem com o excesso.
Mas nós estamos cometendo um grande erro.
Sucesso e ostentação não é a  mesma coisa.
7 razões pelas quais devemos parar de ostentar.

1. A ostentação é muitas vezes arbitrária. Às vezes, o ganho financeiro é conseguido através do trabalho duro, dedicação e disciplina dedicada.Mas nem sempre. Muitas vezes, a riqueza é apenas resultado de herança, desonestidade, ou apenas sorte. Nesses casos, nada foi conquistado. 

2.Ostentar raramente é o uso mais sábio do nosso dinheiro.  Harvey Mackay disse certa vez: "Se você pode pagar um carro de luxo, você pode causar mais impacto dirigindo um econômico."  Há coisas melhores para fazer com o nosso dinheiro. Este conselho serve na compra de carros, casas, roupas, ou tecnologia. Só porque você tem os recursos para pagar o excesso, isso não significa que ele é a melhor opção para a sua vida. 

3. O excesso aumenta o estresse e ansiedade nas nossas vidas.Não só existe um bem maior que o sossego, cuidar de mais e mais bens aumenta o stress na nossas vida. Quanto mais patrimônio mais preocupação. É sempre mais uma coisa para gerenciar, armazenar, reparar e proteger. Adicionando peso extra para as nossas vidas, que já é curta. 

4. O excesso está prejudicando o ambiente que nos rodeia.  É difícil ignorar o impacto do acumulo de coisas significa na Terra. Já dizia Gandhi : "O mundo tem o suficiente para a necessidade de todos, mas não o suficiente para a ganância de todos." Aqueles que se vangloriam dos seus excessos, de suas enormes coleções e acervos não se preocupam com o futuro de ninguém.

5. Ostentar nos leva a dar valor as coisas erradas . O nosso mundo continua divulgando ideais errados. Aqueles que vivem em excesso não são necessariamente aqueles que vivem a vida mais completa. Muitas vezes, é quem vive em silêncio, com humildade e no serviço dos outros, que são os mais felizes. 

6. O acúmulo nos faz perder de vista as coisas que já temos. É impossível encontrar a paz, gratidão e contentamento ao aferrar-se a inveja de quem tem mais. Infelizmente, nós fazemos isso o tempo todo.Admiração é uma emoção saudável, mas a inveja não é. 

7. O excesso não é a resposta. Todo mundo está procurando respostas para as perguntas mais importantes: Qual é o propósito desta vida? Onde posso encontrar a realização? E o que significa viver uma vida abundante? Estas são perguntas difíceis com respostas difíceis. Mas, certamente, "possuir o máximo de coisas possível" não é a resposta para qualquer uma delas. Há desafios maiores do ter cada dia mais.
Eles podem ser difíceis de descobrir quando todas as nossas energias estão sendo direcionados para as coisas erradas.
Admire sucesso. Mas não elogie excesso. Nossa sociedade está ansiosa para as pessoas que podem dizer a diferença. 

Direto do site : becomingminimalist.com, em inglês.
Hackeando é uma copilação de um texto que reflete os valores e idéias do Simplifica.

10/03/2015

Simplificando as refeições

Somos o que comemos.
Não preciso nem explicar então, o por que é tão importante um cardápio equilibrado.
Mas como fazer isso trabalhando 60 horas semanais?
Tenho alguns truques na busca de uma alimentação saudável para minha família.

 ** Monto um cardápio semanal **
Você pode fazer um quadro... ou como eu escrever em um post-it.
Simples assim, sem firula e prático.
No domingo analiso o que tenho na geladeira e decido o que vamos comer na semana.
Se precisar comprar algo já coloco na lista de compras do celular.

** Cozinho para um batalhão e congelo em porções **
Aproveito o mesmo domingo, quando estou mais tranquila para cozinhar para a semana.
Por exemplo, se decidi que vamos comer feijão, já cozinho 1 kilo inteiro e depois divido em porções para uma refeição e congelo sem temperar.
Assim quando for o dia daquela opção é só descongelar e temperar.
Faço isso também com legumes que não irei usar e que irão acabar estragando.
Então, se decidi que vamos comer beterraba na segunda, por exemplo, cozinho uma porção grande, separo a parte da refeição e o que sobrar coloco dividido em saquinhos.
Meu freezer fica uma "festa" de saquinhos e monto os outros cardápios baseado no que já tenho.
Aproveite também para fazer algumas sobremesas simples, como gelatina, pudim, flan e até pavê. 
Assim não comemos balas e chocolates.
** Panela de arroz **
Mudou a minha vida! kkk
Por que ela faz o serviço sozinha... 
Não preciso me preocupar em acompanhar, nem com medida de nada.
Nunca dá errado, o arroz fica soltinho e quentinho até a hora de servir.

** Pré-preparo de manhã para comer a noite **
OBS: Meu marido e filho almoçam na minha sogra e eu no trabalho, então só faço o jantar.
Na prática funciona assim.
Domingo já decidi o que vamos comer e cozinhei uma parte da comida.
Então na manhã, por exemplo, já sei que vamos jantar arroz+feijão+salada de alface + filé de frango.
Em 5 minutos eu :
* Coloco uma porção/pacote de feijão para descongelar na parte baixa da geladeira
* Enquanto isso o micro-ondas descongela o frango, que depois tempero e guardo na geladeira novamente para marinar.
* O alface já está lavado (pois faço isso quando compro) e armazenado seco na geladeira.


Quando chegar em casa a noite, abasteço minha panela de arroz em 2 minutos e deixo ela fazer seu milagre.
Depois tempero o feijão e deixo ele apurando.
Coloco os filés de frango para fritar em um fio de azeite.
E quando estiver quase tudo pronto, tempero a salada.
30 minutos contados no relógio.
O filhote coloca a mesa e o maridão decide a sobremesa.
Simples assim!

sprintrade network